Consagração à Nossa Senhora

“Cada vez pior…” diriam alguns a respeito da época em que vivemos. Ela parecia esperar do progresso um estado de coisas deslumbrante e favorável. Esperou uma comemoração da vitória sobre as dificuldades da vida e, ao invés do triunfo tão almejado, passou a arrastar não uma grinalda de rosas mas uma pesada cadeia de crises jamais imaginada. Lares dissolvidos, almas inquietas, crimes incontáveis…

Em meio a tudo isso ouve-se dizer da parte de alguns: “Em Fátima Nossa Senhora prometeu: ‘Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará!'” Triunfo? Será verdade? Alguns dizem que sim, e que haverá uma época em que de tal maneira se louvará o nome da Virgem Santíssima que esses dias, qual novo reinado, poderá chamar-se Reino de Maria!

Essas palavras parecem soar nos ouvidos contemporâneos como as velhas fábulas contadas antigamente, bonitas, mas irrealizáveis… Será mesmo? Responderíamos sim, e com muita ufania! Como? Através da escravidão! Escravidão?!

A essas alturas os pensamentos mais sensatos se deixariam levar por uma interrogação, de tal maneira vivemos uma realidade contrária ao que foi dito. Porém, é justamente esta a tábua de salvação indicada pelo grande santo mariano São Luis Maria Grignion de Montfort, em seu Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem. “Foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio dela que Ele deve reinar no mundo.”

A escravidão tão temida entre os homens, tornou-se através de Maria a grande porta que dá entrada ao Céu para uma enorme multidão de devotos seus. Claro está, ensina São Luis Grignion, que a escravidão por devoção à Santíssima Virgem, longe de ser cruel, é tão doce e afável que o amor de todas as mães somados a um único filho não seria comparável ao amor da Mãe das mães por cada um de seus devotados servos. Verdade coruscante e que vai cada vez mais sendo difundida pelo mundo. Seria preciso um sinal? Basta considerar exemplos como a consagração de vários jovens à Rainha do Céu e da Terra, realizada na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *