Na aparente derrota, a vitória…

 

Arautos Granja Viana: “Na aparente derrota, a vitória…”

Eis que entramos na Semana Maior, mais conhecida como Semana Santa. Nestes dias vem-nos logo à memória a imagem do Divino Redentor chagado, flagelado, coroado de espinhos, escarnecido… Considerações que piedosamente nos conduzem a ter compaixão do Verbo encarnado. Sofrimento que padeceu por nós sem nada merecer…

Não obstante, escapa-nos à consideração a realidade sobrenatural que está sobre todos estes padecimentos: a remissão dos pecados e a vitória sobre o mal.

Neste sentido, dignas de apreço são as palavras ditas por Mons. João S. Clá Dias, EP, acerca da vitória de Cristo:

“Com a Encarnação, Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, o mal sofreu sua derrota definitiva, porque passou a vigorar sobre a face da terra o regime da graça. Foi este o meio determinado pela Sabedoria Divina para acabar com a vitalidade e o dinamismo da linhagem de satanás, o qual, inconformado, tudo faz para se vingar; por isso a luta entre o bem e o mal continua sem tréguas, hoje mais do que nunca.

(…) Não podemos ignorar tal realidade, na qual, aliás, estamos envolvidos. E devemos estar muito atentos para um aspecto de suprema importância: esse embate se trava dentro de nós. Da mesma forma como no Paraíso Terrestre existia uma serpente, em nosso interior há serpentes que fazem um trabalho muito mais ladino do que o demônio com Eva. São nossas más tendências, em virtude do pecado original, sempre de tocaia, esperando uma oportunidade para nos arrastar para o partido dos tíbios e indiferentes. Nesta batalha interna cabe-nos manter o mal amordaçado e humilhado, e dar ao bem toda a liberdade, o que só podemos alcançar com a graça de Deus.

Certo é que, quanto mais progredirmos na virtude, mais poderá se levantar contra nós uma acirrada oposição do poder das trevas. Dois mil anos de História da Igreja nos mostram com que facilidade essa oposição se transforma em ódio e em perseguição. Não temamos, entretanto, o que nos possa advir, certos de que, como diz São Paulo: ‘todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios’ (Rm 8, 28)”.[1]

Avancemos, então, nas batalhas que nos são propostas nesta vida, com a convicção de que, assim como Nosso Senhor venceu o mal e a morte, também nós venceremos todas as dificuldades se tivermos os olhos fixos no Redentor.

Programação da Semana Santa:

[1] CLÁ DIAS, Mons. João Scognamiglio. O Inédito sobre os Evangelhos. Vaticano: Editrice Vaticana, 2012, p. 264, v. 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *