“Tendo amado os seus, amou-os até o fim”

Arautos Granja Viana: “Tendo amado os seus, amou-os até o fim”

“Tendo amado os seus, amou-os até o fim” (Jo 13, 1). Palavras pungentes que se encontram no relato de São João sobre a Paixão de Cristo. Esta afirmação, feita pelo Redentor, à primeira vista parece indicar apenas que o amor de Nosso Senhor pelos seus é tal que nem na perspectiva da própria morte foi diminuído. De fato, é uma bela interpretação, porém, incompleta, como afirma Mons. João S. Clá Dias:

“As palavra de Jesus refletem o desejo de levar seu amor pelos homens até um limite inimaginável: ‘até a perfeição’ (…). O próprio Deus vai entregar-se como vítima expiatória. O Inocente imolar-se-á pelos culpados. Impossível demonstração maior de amor! Nesse afeto estamos todos concernidos. Cada um de nós, portanto, foi amado ‘até o fim’”.[1]

Com vistas a manifestar aos fiéis esse extremo de amor do Verbo Encarnado por nós, foram realizadas belas cerimônias na igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, localizada no Centro Juvenil dos Arautos do Evangelho, entre as quais a da “Ceia do Senhor”, na Quinta-feira Santa, como se pode ver nas fotos seguintes:

[1] CLÁ DIAS, Mons. João Scognamiglio. O Inédito sobre os Evangelhos. Vaticano: Editrice Vaticana, 2012, p. 313, v. 7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *