“A Eucaristia é a invenção do Amor”: Primeira Comunhão no Centro Juvenil

Que admirável dom de Deus é a Eucaristia! É bem verdade que “ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelo irmão” (Jo 15,13), mas se isso é veraz, maior amor terá Aquele que, ademais de morrer por nós, quis entregar-se inteiramente como alimento espiritual!

São Pedro Julião Eymard, o Doutor da piedade eucarística, chega a exclamar: “Nada tão belo quanto a Eucaristia!” E a respeito do amor que se deve devotar a Nosso Senhor, o qual se dá em alimento na Comunhão, afirmou candidamente que “a medida de amar a Deus consiste em amá-lo sem medida!”

Queres alcançar a perfeição? O caminho para alcançá-la está mais perto de vós do que pensais, diria São Pedro Julião. A Eucaristia é o caminho. E onde encontrá-la? Para encontrar este caminho, ouçamos o que dizo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo: “Noite e dia, espero-vos no Tabernáculo …Não vos censurarei os crimes cometidos, não vo-los lançarei em rosto. Mas Lavá-los-ei no Sangue das minhas chagas … não tenhais medo e vinde! Não sabeis quanto Eu vos amo …”[1]

Nos sacrários de todo o mundo está lá o “Divino Prisioneiro” a nos esperar a qualquer hora que queiramos procurá-Lo. Quanto tempo encontramos para dedicar a coisas frívolas e sem importância, as quais, para não nos sobrar tempo a dedicar às coisas espirituais, atribuímos um valor que na verdade não têm.

Nosso Senhor, dizendo à Sóror Josefa Menéndez, deixa transparecer uma queixa: “Quando está vosso corpo enfraquecido ou doente não encontrais tempo para ir ao médico que há de curar-vos?… Vinde, pois, Àquele que pode dar à vossa alma força e saúde e dai uma esmola de amor a este Prisioneiro divino que vos espera, chama e deseja!…”[2]

“A Eucaristia é invenção do Amor. Mas quão poucas almas correspondem a esse Amor que se esgota e se consome por elas!”[3] Se nos fosse pedido algo mais difícil para alcançar uma felicidade terrena e passageira, como ganhar um prêmio, conseguir um posto, atrair as atenções, certamente o faríamos… Mas, para conseguir a felicidade eterna e perfeita muitas vezes não fazemos o menor caso…

São Pedro Julião Eymard acrescenta: “Há caminhos que se podem seguir por algum tempo, deixando‑os depois. Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento é o caminho estável. É o meio, é o modelo; pois de pouco nos serviria conhecer o caminho, se Ele não nos ensinasse, com o seu exemplo, a segui‑lo. Não se vai ao Céu senão pela participação na vida de Nosso Senhor. Esta vida nos é dada em germe pelo Batismo; os Sacramentos a fortalecem; mas consiste principalmente na prática e imitação das virtudes do Salvador. Temos necessidade de ver Nosso Senhor em ação para imitar as suas virtudes; de segui‑Lo em todos os detalhes do sacrifícios, dos trabalhos que elas exigem para reinar em nós. Suas virtudes são a aplicação de suas palavras, são os seus preceitos em ação. Para chegar à perfeição, é preciso detalhar, pois só é perfeito o que é particular Non est perfectum nisi particulare. O verbo eterno, que queria reconduzir‑nos ao Pai e não podia praticar no Céu as virtudes humanas que implicaram todas uma idéia de combate e sacrifício, fez‑Se homem; tomou instrumentos do homem e trabalhou sob os seus olhos. E como no Céu, aonde subiu glorioso, não pode mais praticar as nossas virtudes de paciência, de pobreza, de humildade, fez‑Se Sacramento para continuar a ser nosso Modelo.”[4]

Isso pode parecer demasiado? O mesmo santo o responde: “Dizem: Mas é exagero tudo isso. Mas que é o amor, senão exagero? Exagerar, é ultrapassar a lei; pois bem, o amor deve exagerar! O amor que nos testemunha Nosso Senhor permanecendo conosco sem honras, sem servidores, não é também exagerado? Quem se limita ao que é absolutamente de seu dever, não ama. ‑ Só se ama quando se sente interiormente a paixões do Amor. E tereis a paixão da Eucaristia quando Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento for o vosso pensamento habitual; a vossa felicidade, a de achar‑se a seus pés; e vosso constante desejo, de Lhe causar prazer.”[5]

Desejando cumprir estes admiráveis conselhos de vida espiritual, e atrair mais almas devotas a Nosso Senhor Sacramentado, os arautos do Centro Juvenil tiveram a alegria de poder conduzir mais jovens à piedade eucarística através da Primeira Comunhão. Foi o que se deu na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima durante uma solene Celebração da Eucaristia.

Realizaram-se 2 batismos e 12 Primeiras Comunhões, além de 4 Comunhões Solenes para os que encerraram o período de formação do Catecismo. Não deixe de acompanhar esse acontecimento, registrado nas fotos a seguir!


[1] Palavras de Nosso Senhor à Sóror Josefa Menéndez, 1 a 11 de março de 1923.

[2] Idem.

[3] Idem.

[4] Comentários de São Pedro Julião Eymard sobre o Santíssimo Sacramento.

[5] Idem.

2 respostas para ““A Eucaristia é a invenção do Amor”: Primeira Comunhão no Centro Juvenil”

  1. Salve Maria!

    Apenas gostaria de parabenizar este valoroso blog, pois, mesmo estão longe daí, podemos acompanhar, atravez de seus ATUALIZADOS conteúdos, todo o trabalho belo, nobre e sublime realizado neste abençoado Centro Juvenil dos Arautos do Evangelho.

    Que as maternais dádivas de Maria Santíssima se derramem abundantemente sobre o Projeto Futuro e Vida.

Deixe uma resposta para Adriana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *