Os três Arcanjos: São Miguel, São Gabriel e São Rafael

Comemoramos no dia 29 de setembro a festa de três grandes arcanjos, mas pelo fato de neste ano cair no domingo não os celebraremos na liturgia. Porém, não deixemos de aqui nos lembrarmos destes grandes personagens do mundo angélico, aos quais devemos prestar, além do culto de veneração, toda a gratidão que merecem da nossa parte, por cooperarem ativamente na história da salvação.

O nome dos desses Arcanjos foram revelados pela Sagrada Escritura, notemos que os três terminam com a palavra “El”, que significa “Deus”. Como nos esclarece o Papa Bento XVI isto quer dizer que: “Deus está inscrito nos seus nomes, na sua natureza. A sua verdadeira natureza é a existência em vista d’Ele e para Ele. Explica-se precisamente assim também o segundo aspecto que caracteriza os Anjos: eles são mensageiros de Deus. Trazem Deus aos homens, abrem o céu e assim abrem a terra. Exatamente porque estão junto de Deus, podem estar também muito próximos do homem.”[i]

“Quis ut Deus, quem como Deus?” Este sinal de fidelidade, que em hebraico se diz Mi-ka-el (מ-ח-אל), passou a ser o nome daquele serafim que por sua caridade ímpar foi o primeiro a levantar-se em defesa da Majestade ofendida. Tal é a significação do nome de nosso glorioso Arcanjo, cujo brado de guerra precipitou Lúcifer e seus anjos revoltados no abismo eterno.

Encontramo-lo na Sagrada Escritura, sobretudo no Livro de Daniel e no Apocalipse.

Este último nos narra: “houve no Céu uma grande batalha” (Ap 12, 7). Luta entre anjos e demônios, luta da luz contra as trevas, da fidelidade contra a soberba, da humildade e da ordem contra o orgulho e a desordem. “Miguel e os seus anjos pelejavam contra o dragão, e o dragão com os seus anjos pelejavam contra ele” (Ap 12, 7).

Vemos que São Miguel defende a causa da unicidade de Deus contra a soberba do dragão. É a perene tentativa da serpente de fazer crer aos homens que Deus deve desaparecer, para que eles se possam tornar grandes.[ii]

Quando o augustíssimo Tabernáculo – o seio virginal de Maria Santíssima – estava preparado, Deus enviou o Arcanjo Gabriel (Cf. Lc. 1, 26). É ele o Arcanjo da Anunciação. Aquele que disse aos pastores de Belém, eu vos trago uma grande alegria (cf. Lc 2,10). E quando ele terminou a mensagem uma multidão de anjos se juntou a ele e cantaram: “Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens, por Ele amados” (Lc 2,14)?

Sabe-se que seu nome significa “Deus se mostrou Forte” ou “Força de Deus”. A Daniel essa força profetizara a destruição do pecado, referindo-se à vinda do Messias (cf. Dn 9,21ss). Mas agora essa força se mostra suave, uma vez que a voz celeste desta vez se dirige à Virgem de Nazaré. O anjo se inclina, pois está diante de sua Rainha, e saúda: “Ave, ó cheia de graça, o Senhor é contigo” (Lc 1,28). Ele bate à porta de Maria, esta lhe confia o seu “sim”, e o Arcanjo, portador da mais sublime resposta, o leva ao trono do Todo Poderoso, e eis que o Verbo se faz Carne e passa a habitar entre nós (cf. Jo 1, 14).

Ele é o anjo da boa notícia! Não nos esqueçamos que ele apareceu também  a Zacarias para anunciar o nascimento de São João Batista (cf. Lc 1, 11ss), e para isso declarou seu título: “Eu sou Gabriel, o que está diante do trono de Deus, e fui enviado para te falar e te trazer esta feliz nova (Lc 1, 19).

Oh! Arcanjo São Gabriel, a humanidade será sempre grata a ti, trouxeste do céu boas novas a este mundo que estava em perigo. Sim! Tu és o Arcanjo da Santa Alegria!

São Rafael, falado em um só livro da Sagrada Escritura, é o acompanhante do jovem Tobias, e por isso sua função é tida como guia de todos os que viajam. Foi ele que sugeriu ao seu jovem protegido o remédio para a cura da cegueira do pai, por isso, etimologicamente seu nome significa “Deus curou”.

Assim, São Rafael, o anjo da caridade, da confiança, protetor dos desvalidos, dos Tobias da vida de todos os dias, ampara-nos com requintes de bondade e misericórdia.

 


[i] BENTO XVI. 29 de setembro de 2007.

[ii] BENTO XVI. 29 de setembro de 2007